No contexto da situação pandémica atual, a Sociedade Portuguesa de Medicina Física e de Reabilitação (SPMFR) tem desenvolvido várias ações no que concerne às nossas recomendações e atividades a ser desenvolvidas em doentes com COVID-19.

Estas atividades assentam nas evidências científicas e experiências internacionais com doentes COVID-19; nos webinares sobre o tema a que assistiu; nas trocas individuais de informação com colegas estrangeiros em prestação de cuidados de reabilitação a estes doentes (desde as Unidades de Cuidados Intensivos aos Centros de Reabilitação e Comunidade); nas reuniões / trocas de experiências com outras instituições científicas da MFR Europeia; na troca de impressões e discussões científicas com outros colegas de especialidades afins, nomeadamente cuidados intensivos, pneumologia e medicina interna e colegas de MFR com experiência em Reabilitação em Medicina Intensiva e Cuidados de Reabilitação Respiratória (nos vários níveis e tipologias de cuidados de saúde).

Entre estas atividades destacamos:

– Criação de Taskforces da SPMFR (aonde participam vários fisiatras portugueses) no âmbito dos Cuidados de MFR em Doentes com COVID-19 e Insuficiência Respiratória (Doentes Críticos em UCIP/UCI, Doentes Pós-Críticos e Doentes em Ambulatório), Cuidados de MFR em Doentes Neurológicos e Cuidados de MFR em Doentes Músculos-Esqueléticos.

Destas Taskforces decorrerão, entre outros, a produção de recomendações (documentos) aos colegas fisiatras, trocas de ideias e experiências com outras especialidades, sociedades científicas e associações afins, informações/aconselhamentos na área da reabilitação para os doentes e envio dos documentos técnico-científicos ao Colégio da Especialidade de MFR / Ordem dos Médicos, às Autoridades de Saúde, outras instituições representativas da MFR, outras instituições cientificas, profissionais e de doentes afins.

– Desenvolvimento de canais de informação MFR – COVID-19 no Website da SPMFR (com início de atividade em breve). Estes incluem: informações e aconselhamentos gerais no âmbito dos cuidados de reabilitação em várias patologias e condições de saúde aos doentes neste período de pandemia; criação de canais de comunicação direta com os doentes / utentes de MFR através do desenvolvimento da Rede de TeleMedicina de Reabilitação, projeto criado em 2018, com apoio da SPMS, e que serão convidadas a participar outras instituições da MFR.

A SPMFR, mantém estreitas relações com as restantes instituições nacionais e internacionais que representam a MFR, visando em última instância, o cumprimento da sua missão e dever técnico-científico de informação, formação e desenvolvimento de recomendações e atividades da MFR em contexto da situação pandémica de COVID-19, com base nas orientações das Autoridades de Saúde nacionais e no superior interesse dos doentes/utentes e da Saúde Pública.

Com os melhores cumprimentos

P’la Direção da SPMFR

Catarina Aguiar Branco